- Publicidade -

Nesse artigo iremos apresentar como surgiu a ideia de criar um jogo baseado em escalação de jogadores de esportes reais em equipes de fantasia e como o jogo evoluiu desde seus primórdios até os dias atuais, onde se tornou um mercado mundial bilionário

Quem hoje joga o Cartola FC (maior site de fantasy sports ou fantasy game do Brasil) nem imagina que essa febre de escalar as próprias equipes esportivas com jogadores reais e disputar com seus amigos começou há muito tempo nos EUA. Mais precisamente, tudo começou no início dos anos 60, quando membros da organização do time de futebol americano do Oakland Raiders desenvolveram um conjunto de regras básicas de deram início ao que atualmente é conhecido como fantasy football.

Nessa mesma década esses organizadores criaram a primeira liga oficial de fantasy football, conhecida como “Greater Oakland Professional Pigskin Prognosticators League or the GOPPPL” (Maior Liga de Prognosticadores Profissionais da Bola de Couro de Oakland, em tradução livre). Mesmo assim, nessa época, até onde se tem notícia, o fantasy sport era uma atividade muito limitada, sendo quase restrita à esses pequenos grupos dos quais se tem poucas notícias. Mas isso tudo até a chegada dos anos 80 e criação do que é conhecido por muitos nos EUA do modo de jogo “A Rotisserie”.

Os anos 80 e a aproximação do modelo que hoje mais conhecemos de fantasy sport

Os anos 80 deram um grande impulso na popularidade dos fantasy sports graças a criação do que ficou conhecido como “A Rotisserie”, que é um sistema de pontuação para o fantasy desenvolvido por um grupo de jornalistas esportivos para o baseball. Esse foi o primeiro sistema onde os jogadores puderam selecionar seus jogadores a partir de uma lista de jogadores disponíveis e puderam acompanhar as estatísticas de cada jogador durante toda a temporada, tornando o jogo mais realista e divertido de se jogar, pois os jogadores passaram a tomar decisões parecidas com os proprietários de times reais.

O sistema recebeu esse nome porque a primeira reunião do grupo de jornalistas para a seleção dos jogadores e definição das regras foi no restaurante chamado “La Rotisserie Française” e dessa primeira reunião em diante o jogo ali criado começou a ser divulgado entre os jornalistas esportivos do país, o que fez com que cada vez mais fãs de baseball começassem a jogar o jogo e tornasse o modelo um febre entre os fãs do esporte.

"La Rotisserie Française" local onde foi criado o primeiro sistema de fantasy sport
“La Rotisserie Française” local onde foi criado o primeiro sistema de fantasy sport

Ao final dessa década mais de 1 milhão de pessoas já jogavam fantasy football e o jogo, que encontrava uma série de limitações devido à dificuldade de encontrar estatísticas precisas e também necessitava de alguém que dispusesse tempo para conferir todos os times, jogadores e atribuir as pontuações que eram pegas em edições de revistas esportivas da época, começava a tomar aspectos mais sérios, com as pessoas realmente se engajando e até criando ligas com amigos valendo desde almoços até altas somas em dinheiro.

Mas tudo mudaria nos anos 90, graças ao advento da internet e de computadores mais sofisticados, que permitiram a transição do jogo do ambiente real, com os times anotados em papeis e a dificuldade de reunir os jogadores em um mesmo local para fazerem a seleção de jogadores, para o ambiente virtual, onde a criação de ligas e contagem de pontos para as equipes seria muito mais fácil e prática.

Os anos 90 e a mudança do ambiente real para o virtual

Nos anos 90, o advento da internet e a maior acessibilidade a informação mudaram vários ramos da indústria pelo mundo, alguns sucumbiram e outros atingiram o ápice, e foi esse o caso dos fantasy sports, que saíram do ambiente real, onde era tudo muito lento e não havia uma grande integração dos jogadores devido à distância, e entraram no ambiente virtual, onde os sites começaram a surgir e propagar o jogo entra os apaixonados por esporte.

Devido à esse aumento em massa tanto dos fornecedores de fantasy sports, quanto do número de jogadores, começaram a surgir os primeiros problemas com relação ao jogo. O mais famoso caso dessa década foi uma disputa judicial entre a STATS (empresa americana que é líder na distribuição de dados para sites de fantasy sports) em conjunto com a Motorola que foram processados pela NBA por uso indevido dos dados das partidas que, segundo a NBA, eram protegidos por direitos autorais. O caso foi julgado e STATS e Motorola venceram o ação judicial e até hoje são parceiras na distribuição dados estatísticos para sites de fantasy sports pelo mundo.

Já no final da década o site Yahoo! lançou a primeira e inovadora plataforma de fantasy sports totalmente grátis para se jogar. Até aquele momento todos os sites disponíveis cobravam algum valor para que você pudesse jogar. Esse ato fez com que o fantasy sport crescesse ainda mais e tornou o Yahoo! líder no setor de fornecimento de fantasy sport grátis até os dias atuais.

Yahoo!
Yahoo! Líder em fantasy sports grátis no mundo

Par se ter uma ideia do crescimento e importância dos fantasy sports no cenário americano esportivo no mesmo período foi fundada a FSTA (Fantasy Sports Trade Association) com o objetivo de ser uma organização para trabalhar em prol do fantasy sports, regulamentando os sites e e ajudando a promover o crescimento do jogo entre os fãs do esporte. E esse crescimento, que já era espetacular, teve seu boom na década seguinte, com a criação da modalidade mais jogada de fantasy sports atualmente, o Daily Fantasy Sports (Fantasy Sport Jogado por Rodada), onde não é necessário jogar a temporada inteira para se determinar o campeão, toda a rodada temos um vencedor e a cada rodada você pode montar uma equipe diferente.

Os anos 2000 até os dias atuais

Quando em 2006 o governo americano proibiu todas as formas de apostas onlines esportivas e na mesma lei julgou que os fantasy sports estavam liberados, pois não são considerados jogos de azar, mas sim um jogo de habilidade, mias de 12 milhões de americanos já jogavam em algum site de fantasy sports. Mas um ano antes o Brasil começava a dar seus primeiros passos no engajamento dessa febre mundial com o surgimento do Cartola FC, maior site nacional de fantasy sports que já tem mais de 3 milhões de usuários no ano de 2016.

No ano de 2016 o fantasy game do Cartola FC bateu o recorde de equipes escaladas em uma única rodada
No ano de 2016 o fantasy game do Cartola FC bateu o recorde de equipes escaladas em uma única rodada

Com a proibição dos sites de apostas esportivas e com o surgimento de dois gigantes websites de fantasy sports, FanDuel (2009) e DraftKings (2011) o número de jogadores de fantasy sports em solo americano deu um salto surpreendente, saindo dessa casa do início dos anos 2000 de algo em torno de 12 milhões para nos dias atuais algo em torno de 57.4 milhões de jogadores de fantasy sports.

Tudo isso graças aos investimentos massivos em propaganda feitos pelos sites, pelas parcerias feitas com as ligas mais importantes como NFL, NBA e MLB e, principalmente, pelos prêmios milionários que esses sites oferecem aos seus jogadores a cada rodada de uma modalidade esportiva.

Os dois maiores sites de fantasy sports dos EUA atualmente. Juntos eles dominam algo em torno de 90% do mercado de fantasy sports
Os dois maiores sites de fantasy sports dos EUA atualmente. Juntos eles dominam algo em torno de 90% do mercado de fantasy sports

Tanto investimento, organização e a paixão dos americanos por seus esportes favoritos fizeram com que a indústria do fantasy sports se tornasse um mercado bilionário, que cresce a cada dia mais, apesar de alguns estados ainda barrarem o funcionamento dos sites por não acreditarem que o fantasy sports é um jogo de habilidade, apesar de existirem inúmeros estudos acadêmicos que provam que fantasy sport é sim jogo de habilidade tanto quanto o poquer e o xadrez.

A breve história do Fantasy Sport no Brasil e a situação atual

Quando dizemos que é um história breve é porque é mesmo, dado que o início da história dos fantasy sports no Brasil se dá com a fundação do Cartola FC no ano de 2005 e até os dias de hoje é praticamente o único fantasy de respeito do nosso cenário esportivo. O fantasy game é grátis para jogar (atualmente existe uma versão paga chamada Cartola Pró, onde quem paga um valor para usar o site pode concorrer a alguns prêmios e tem alguns benefícios no site) e é exclusivo do Campeonato Brasileiro de futebol da Série A.

Outros sites de fantasy sports acabaram surgindo recentemente, quase sempre de futebol, como o Rei da Liga, que era o fantasy do canal Esporte Interativo da UEFA Champions League, que atualmente se encontra desativado e sem previsão de retorno. Mas ainda existem alguns outros sites como o Minha Equipe Stock Car, que é o fantasy da maior categoria do automobilismo nacional, e o Guillotine MMA, que se dedica a ser um fantasy do UFC.

Considerações Finais

Bom, como vocês puderam ver, a história e o desenvolvimento do fantasy sport no Brasil é bem recente se comparada ao dos EUA, que começou há mais de 50 anos e é o país com o maior número de jogadores ativos e em várias modalidades esportivas que são paixão nacional.

Para se ter uma ideia do quão eles são desenvolvidos e de como o assunto fantasy sport é levado á sério no país, até uma série de TV foi criada para abordar o assunto. Chamada The League (A Liga) a série teve sua estreia no ano de 2009 e teve um total de 7 temporadas que foram exibidas pelo canal de TV fechada FX. Então pra fechar esse artigo com chave de ouro nada melhor do que um trechinho da série para nossos fãs assistam e aumentem seu interesse e curiosidade sobre o assunto fantasy sports.

 

- Publicidade -